15 de nov de 2013

#maededois


De vez em quando lá vem a pergunta: ~e aí, como é ser mãe de dois?~, ~tá dando conta?~, ~é muito cansativo?~, e por aí vai... Aproveitei que a primogênita foi pra casa da avó e que tenho por alguns dias a sensação de ser ~mãe de um~ pra falar mais sobre isso.

Cansativo é. Dou conta? Não. Mas a gente vai vivendo e fazendo uma coisa que ajuda muito: priorizando. Pra tentar ser mais clara fiz uma listinha de algumas coisas que aconteceram quando nasceu nosso segundo filho. Claro que é um relato pessoal e despretensioso, mas tanta coisa que me ajudou veio de relatos assim que achei que devia. Vai que né, ajuda alguém por aí também. Seguinte:

#Nem é tanto trabalho assim

Quando você tem um filho só e seu mundo gira ao redor dele muitas coisas parecem difíceis, e são mesmo naquele momento. Assim como quando você não tinha filhos pensava que não tinha tempo pra nada, por exemplo. Daí o filho nasce e você descobre que tinha, e muito. O mesmo acontece com o segundo. Uma mágica que faz você perceber que cuidar de uma criança nem era tão trabalhoso assim, e que seu mais velho definitivamente não é mais tão bebê quanto você o trata(va). Mas você só conseguiu ver isso agora que tem DOIS e o trabalho aumentou consideravelmente. Então o desafio é outro: cuidar de duas crianças em idades e fases de desenvolvimento diferentes, mas com a consciência de que também não é um bicho de sete cabeças.

#Desafrescalhando o processo

Aquela velha história que todo mundo diz e que você até acredita, mas só entende mesmo na segunda viagem: o primeiro filho é de cristal, o segundo é de madeira e o terceiro é de plástico (sei lá se falei certo, mas é por aí). E olha que sempre fui uma mãe bem relax e sem muitas paranoias, essa coisa de esterilizar até o ar que o bebê respira nunca fez a minha cabeça, mas na boa, como é bom se libertar de certas frescurinhas e incluir uma dose de vitamina "S" no cardápio do filhote. Os anticorpos dele, inclusive, agradecem =)

#É mais fácil manter a calma

Choro de bebê é desestabilizante por demais #todasconcorda. Mas é mais fácil não pirar quando seu filhote não para de chorar, e daí fica mais fácil também tentar entender o porquê e encontrar a solução. Você também já sabe que as noites sem dormir vão acabar, então não se desespera com aquela sensação de ~socorro, eu nunca mais vou dormir????!!!!!~ E cá entre nós eu desconfio quase tendo certeza que isso contribui muito para ter um segundo filho mais tranquilo, pelo menos essa foi a minha experiência, inclusive na questão do sono. De todo jeito, não sentir toda aquela tensão vinda da mamãe inexperiente já ajuda bastante seu baby, pode acreditar. 

#Continuamos sem manual

Com tanta informação gratuita e à mão 24h por dia não é difícil virar uma mãe-google. Mas mesmo com os babycenter da vida + experiência e tranquilidade adquirida na primeira viagem, seu segundo filho é seu segundo filho, e nem tudo que funcionou com o primeiro vai funcionar com ele. Se é choro de cólica ou de fome continuará sendo uma incógnita até que você tenha o tempo suficiente para observar, conhecer e entender seu filhote. A união de informação + intuição ainda vai ser sua bússola, e cá entre nós, às vezes a segunda ajuda bem mais que a primeira. Somos fêmeas, somos bicho, antes de tudo. Tudo bem que pra ser mãe não existe manual - a gente bem queria um né? - mas confie no programa que Deus instalou em você quando te fez mulher =)

#Você vai fazer comparações

É horrível, mas às vezes a gente tem que escrever numa placa bem grande na maior parede da casa ~é proibido comparar~ porque é muito tentador ficar fazendo isso o tempo todo. "Fernanda ia no colo de todo mundo, Daniel só quer ficar comigo"; "Daniel adora tomar banho, Fernanda fazia um escândalo pra entrar na banheira". Cada um tem suas necessidades e suas preferências, e temos a tendência de elogiar sempre aquele que dá menos trabalho, o que não é muito legal pro mais velho que já tá ali tendo que lidar com tantas transformações em uma casa onde, até hoje, ele era único. Portanto, por mais difícil que seja, é preciso se controlar.

#O amor multiplica

Você achava que já amava muito? Pois se prepare pra sentir seu coração rasgar de tão grande. Nunca pensei isso na gravidez, mas já ouvi mães dizerem que sentem medo de não amar tanto o segundo filho quanto o primeiro. Não vou falar por todas as mães do universo, mas falo por mim: deixe de besteira, o amor multiplica.

#Amor de irmão é uma coisa linda

E falando em amor, é coisa de Deus ver irmãos se descobrindo amigos. Lembro dos meus e apesar de tantas brigas e diferenças, sempre foram aqueles que mais me compreenderam nessa vida e com quem podia contar. Já tinha ouvido que o melhor presente que se pode dar a um filho é um irmão. Sei que nem todo mundo (a maioria) quer/pode. Mas que é lindo, é. Engraçado que às vezes saio sozinha com os dois pela rua e sinto um olhar de pena de algumas pessoas. Mas esse olhar não me cabe, porque ser #maededois me dá um orgulho danado. Me trouxe uma sensação de empoderamento, de vivacidade. Fiquei quase exibida. Quase =)

#Dinheiro: como faz?

Nós temos o seguinte pensamento sobre criação de filhos: o problema não é o dinheiro, o problema é o padrão de vida. Criar um filho no padrão de consumo da classe média é difícil, dois é praticamente impossível. Não somos ricos. Não estamos pagando prestação da casa própria e nem temos carro. Moramos de aluguel em um apartamento barato e perto do trabalho do marido (e de muitas outras coisas úteis como farmácia, feira, mercado, açougue) onde criamos nossos dois filhos e ainda hospedamos um monte de gente de vez em sempre. Pra muita gente isso é atraso. Pra nós é avanço. Com vida simples e casa cheia, vamos vivendo com o que Deus dá, que ó, sempre é mais do que suficiente.

#Tudo vale a pena

Existem dias difíceis. Às vezes os dois adoecem juntos. Às vezes o cansaço vai além do que a gente consegue suportar. Você não lembra de nada e tem que anotar tudo porque a memória está toda ocupada com as necessidades dos pequenos. Existem dias solitários em que você só sente vontade de conversar com alguém da sua idade. Existem dias em que você precisa de ajuda e ela não vem. Mas mesmo na crise, no caos, tudo, tudinho, mas tudinho mesmo vale a pena.



31 comentários:

  1. Nossa que lindo!!!! Emocionante,verdadeiro e real....isso porque não sou mãe ainda,estou esperando o Dono da vida me dar o dom de gerar...
    Mas a parte que achei mais emocionante foi quando você falou do $ ,nos dias de hoje é difícil encontrar alguém que pense e viva assim...parabéns,que Deus continue te abençoando e prosperando a cada dia....#admirável

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo e tocante, Ju. Poxa vida, que sentimento verdadeiro.
    Deus abençoe vocês quatro. Você, Fernanda, Daniel e Filipe (que acompanho pelo ig tbm e sei que é um grande companheiro).
    Um mundo de amor pra vcs, linda família.
    Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  3. Amei esse texto! Reflete exatamente o meu momento. Tbm sou mãe de dois filhos pequenos: uma menina de 3 anos e meio e um menino de 2 anos. É uma luta! Mas tbm é uma experiência única e gratificante! Parabéns por fazer parte desse exército de mães corajosas, amorosas e felizes, apesar de tudo. Pois, o simples sorriso de nossos filhos, faz tudo valer a pena... Sempre!

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, Juliana. Nao fui mae mas te digo que meus pais nos criaram (quatro!) exatamente assim, e fizeram um otimo trabalho mesmo enfrentando muitas dificuldades financeiras. Que a simplicidade continue a nortear voces, e Deus a lhes abencoar. -Claudia.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo e emocionante texto filha, sobretudo porque observei de perto tudo o que você disse. Me enche de orgulho ver a família que você e Filipe estão construindo. Parabéns pela mulher corajosa que você é. Te amo e estava sentindo falta desses posts emocionantes.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Seus filhos são lindos Juliana!
    Me emocionei muito com esse post. Também nunca fui neurótica ou paranoica com meu filho que hoje tem 1 ano e 10 meses.
    Temos pensando em um irmão para ele. Costumo dizer que pode ser difícil, mas não impossível.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. ...que delícia ler este texto tão doce e tão verdadeiro!
    que Deus abençõe esta família, e que você continue
    sendo este ser lindo, criativo, e prendado que
    tanto nos encanta, e 'engorda'...rs...bjs

    ResponderExcluir
  9. Texto lindo demais!

    Ainda não sou mãe, mas concordo plenamente com você que que existem coisas muito mais importantes que dinheiro para criar um filho. Eu, por exemplo, não trocaria os dois irmãos que tenho pra ter tido oportunidade alguma (escolha melhor, viagens, presentes, etc.). Que Deus continue abençoando você e essa sua família linda! <3

    ResponderExcluir
  10. lindo o texto ,me identifiquei bastante pois também sou #maededois,rsrs..parabéns bjs.
    leny

    ResponderExcluir
  11. Ju....belas palavras, e só sei que ser mãe é de fato uma das melhores coisas da vida, se não dizer a melhor. bjusss

    ResponderExcluir
  12. Menina que post maravilhoso,era tudo que estava precisando de ler...Quero engravidar ano que vem de novo,e por incrivel que pareça vou ser mae de 2 e quase de primeira viagem pois minha filha esta com 7 anos...adiei demais por motivos financeiros,medo de não conseguir criar,já que com 1 é mais facil dar um bom padrão...conclusão a vida continua a mesma e se eu ficar esperando o patrão de vida aumentar, não vai ajudar,já que com a idade os problemas tipo pressão,colesterol chegou e bebe ainda nada,mas esse seu post tirou um pouco do medo,afinal bebe é sempre algo novo de novo né,beijinhos e parabens pelo casal lindo!!!

    ResponderExcluir
  13. Fernanda Saraiva16/11/13 21:39

    Jú você é um ser incrível!!!!

    Aplausos...

    ResponderExcluir
  14. Uma coisa que aprendi sendo mae de dois, é que escolhinha municipal até os seis anos é tudo de bom, pois eu fazia parte da APM, então tinha livre acesso à escola em qualquer horario, podia circular e ver o que realmente acontecia, sabia-mos quem era professora boazinha de fachada, e o melhor a cozinha e estoques eram sempre vistoriados, podia-mos comprar tanto o material escolar quanto o uniforme, que eram oferecidos a todas as crianças e escolhia-mos o melhor, pois quem assinava os cheques de compra eram a Presidente da APM,srsrsr, e era delicioso estar lá e ver aquelas 400 crianças escovando os dentinhos, lanchando, enfim numa escola particular não temos acesso a nada disso, principalmente quando sao pequenos, pronto falei!!!Beijos !!!

    ResponderExcluir
  15. Que texto lindo, sou mãe de um bebe de 10 meses e de vez em quando me pergunto: Gente, eu estou morta de cansaço, como tem mãe que dá conta de dois? Mesmo sabendo que minha mãe deu conta de tres praticamente sozinha pois meu pai viajava muito.... e aí lembro de algumas pessoas que eu considero devagar demais e que dão conta e penso: ah não, se tanta gente dá conta eu também darei, pois não gostaria de ter somente um filho. Seu texto foi encorajador!!! Obrigada!

    ResponderExcluir
  16. Apenas que fiquei com vontade de ser #mãededois. Inspirador Ju. Tu é fera e sei que Deus é contigo sempre.

    ResponderExcluir
  17. Olá Junto fiquei súper feliz com esse post, achei simplesmente um máximo parabéns . Vi que você também. Escreve para o site mulheres piedosas que eu acompanho, sou cristã e sigo a Palavra de Deus e também sei que criar os filhos como o padrão do mundo é um dos maiores erros que os pais podem cometer. Fiquei feliz e até chorei com o seu testemunho. Eu e meu marido inda não temos filhos mas queremos muitos em nome de Jesus. Beijos e continue firme assim

    ResponderExcluir
  18. Ai, que texto leve, real e lindo... Identificação total! Também sou mãe de dois, e considero isso a maior e melhor bênção de Deus em minha vida... Cheguei ao seu blog há algum tempo, por causa das receitinhas saborosas, básicas, práticas e possíveis no nosso dia-a-dia louco. Mas amo quando você envereda por outros assuntos, especialmente esse maternidade/filhos/família. Parabéns pelo blog, pelas receitas, pelos filhos lindos e pelo amor singelo que você transmite em seus textos.

    ResponderExcluir
  19. Você é LINDA! Parabéns pelo texto.
    Com carinho
    Telma Linhares

    ResponderExcluir
  20. Lindo! De fato, tudo vale a pena:-)

    ResponderExcluir
  21. Lindo! De fato, tudo vale a pena:-)

    ResponderExcluir
  22. Lindo! De fato, tudo vale a pena:-)

    ResponderExcluir
  23. Ju, que texto mais lindo!
    Estou no processo da segunda viagem e você parece que leu meus pensamentos com estas palavras.
    Muito bom nos tempos de hoje ver que ainda tem gente que preza pela família e simplicidade. Afinal, é o que sobra no final de tudo não é mesmo?
    Por isso amo tanto o seu blog e adoro tanto você!
    Grande beijo
    July Cadidé (jucadide)

    ResponderExcluir
  24. Ju que lindo isso, tenho uma princesa de 2 anos e 4 meses e gravidinha de 16 semanas, logo serei #maededois e isso ajuda e muito em nossos medos e concordo plenamente com o que você escreveu, tudinho :)

    ResponderExcluir
  25. Vocé é uma mulher maravilhosa... Além de inteligente, é linda. Dia desses passei por você no shopping e meu coração bateu acelerado. Sempre leio o blog, apesar de ser homem e nem saber cozinhar, venho aqui só pra ter um pouco de você no meu dia. Desculpe a franqueza, pra não dizer cara de pau, é que só hoje tive coragem.

    ResponderExcluir
  26. Absolutamente 110% verdade! Parabéns pelo texto. Estou nessa fase (Malu com 2 anos e meio e João com 2 meses) e me vi em cada parágrafo. Bom demais. :) Vou agradecer à Anna Terra pela indicação de leitura. ;-)

    ResponderExcluir
  27. Ju, seus depoimentos como sempre emocionantes!!! Adoro ver as fotos da sua família... você com essa generosidade incrível compartilhando conosco sua vida, e os mais íntimos detalhes, e com isso só nos faz enxergar como é simples SER FELIZ!!!
    Minha barriga está crescendo, e não vejo a hora do meu pequeno sair para o mundo ... e eu poder #sermãedeum, por enquanto.
    PS.: Eu entendi a emoção do anônimo, acho que meu coração também bateria mais acelerado se cruzasse com você no shopping, mas eu iria te chamar e pelo menos te dar um abraço em retribuição a gostosura que são seus posts!
    Beijokas :D

    ResponderExcluir
  28. Lindo post, cheio de frases inspiradoras. A que mais gostei: "...confie no programa que Deus instalou em você quando te fez mulher". Ano que vem tentamos o segundo, com fé em Deus que tudo vai dar certo. Beijo, Ju.

    ResponderExcluir
  29. Ai Ju, adoro quando escreve textos assim... Também sou mamãe de dois e passei por tudo o que falou, a diferença dos meus é de 1 ano e 8 meses, quase surtei pois às vezes eram duas fraldas ao mesmo tempo pra trocar... Mas olha, faria tudo de novo! É tão lindo vê-los juntos, um defendendo o outro... Às vezes me pego com cara de boba de ficar admirando os dois juntos. É muito amor. Um amor que só cresce e que de tão grande chega a doer. Um beijo com carinho da sua leitora assídua. Priscilla

    ResponderExcluir
  30. Olá... Bom dia!

    Amei o post. AMEI! AMEIIII!
    Tenho que começar com um sonoro e sincero PARABÉNS!
    Sim, você conseguiu expressar muito bem como é ser mãe de dois. Me identifiquei desde o primeiro tópico (nem é tanto trabalho assim). Realmente, não é.

    Não posso ser hipócrita de dizer que não é cansativo, os 4 primeiros meses por aqui, foram. Gabi retrocedeu na fala, no dormir. De ciúme, teve uma gagueira, ficou chorona, etc... Mas, passou.

    Outra frase, que é verdadeira por demais, é que o desespero de não dormir diminui bastante. Você sabe que faz parte do processo, que passa tão rápido quando não se foca nisso. Mas, como tudo nessa vida, parece que a gente só aprende, passando...

    Como digo as pessoas que também me perguntam como é ser mãe de dois (Gabriela, 3 anos, e Felipe, 9 meses), a CASA JÁ ANDA NUM RITMO COM CRIANÇA.

    Os programas que o casal faz já incluem criança, as viagens são pensadas com filhos, tudo já funciona nesse ritmo diferenciado de quem é pai e mãe. Portanto, tudo fica mais fácil, principalmente, se ambos são saudáveis.

    Sei lá, nós, adultos, já deixamos de ser tão egoístas (ai, nunca mais vou dormir! Nem tomar um banho demorado!!! Aiii.. nunca mais vou ao salão... Nem saio com meus amigos, etc. etc, etc.)

    Com certeza, o primeiro filho muda tudo. Você perde sua “liberdade” (por um período, tão somente) de sair, ler, dormir, ir ao cinema, passear quando quer, etc. Até porque pais/marido não te controlam/prendem tanto, mas o filho muda o seu foco na vida... Muda tudo, te pede um exercício de amor constante.

    Cuidar, alimentar, limpar, brincar e educar... Precisa-se de MUITO AMOR.

    Hoje, tenho na Gabi uma grande companheira. Ela vai ao supermercado comigo, pintamos as unhas juntas, vamos ao salão, assistimos filmes, brincamos de casinha, passeamos, conversamos, descobrimos e redescobrimos o mundo da escrita, fala, juntas.

    Já, o Felipe é o bebê. Lindo e “gotosoooo” como só um bebê sabe ser. O jeito de rir, de descobrir o mundo, o olhar calmo, as caretas, os guti guti, pa pa (do começo da fala), ou seja, as descobertas diárias são maravilhosas. O cheiro bom, o mamar olhando direto para a mãe. A sinceridade pura que um bebê tem... sei lá, é mágico.

    E, como você disse, ao final, VALE A PENA.

    Obrigada. Adorei.

    Daniela #maededois

    ResponderExcluir
  31. Lindo, parabéns! Que Deus conserve sempre essa simplicidade e amor em seu coração! Parabéns pelos filhotes!

    ResponderExcluir

Esta e outras receitas você encontra no www.pitadinha.com

Related Posts with Thumbnails