31 de ago de 2015

Pão de queijo cottage #SegundaLevinha

 
  
 

Desde que aprendi esta receita de pão de queijo da Cami faço sempre pois é muito, muito prática. Pra deixar um pouco mais leve fiz algumas substituições e né que deu certo! São só 3 ingredientes, ô coisa boa! Olha que simples:

  • 1 e 1/4 de xícara de polvilho doce
  • 3/4 de xícara de polvilho azedo
  • 1 potinho (200g) de queijo cottage
  1. Misture todos os ingredientes
  2. Modele as bolinhas
  3. Asse em forno preaquecido a 180 graus até formarem a casquinha e ficarem douradinhos 
 
 
Algumas observações:
  • Como é um queijo com baixa % de gordura, os pães não ficam tão douradinhos quando pães de queijo feitos com queijos gordinhos
  • Prove um pouco da massa antes de assar, se achar que precisa de um pouco de sal, é a hora de acertá-lo
  • Dependendo da marca do seu queijo pode ser que a massa não tenha líquido o suficiente para dar a liga. Caso fique seca, use uma ou duas colheres de azeite para dar o ponto
Em 10 minutos sumiram todos, as crianças amaram! Ótima opção de lanche pra escola hein!? E quem achou este prato bailarina lindo e delicado levanta a mão \o/ É da nossa parceira JO Decor, claro =) 

27 de ago de 2015

Ragu de chambaril (Ossobuco) #Economizando


 
 
 

Chambaril (ou ossobuco) é um corte de carne extremamente barato e muito conhecido aqui em Recife em forma de cozido. Aquele cozidão com vários legumes, o caldinho maravilhoso que vira pirão... Perfeito!

Quem já viu aqui no blog o ragu preguiçoso ao molho de vinho e experimentou sabe que é uma delícia, não sabe? Mas em tempo de crise, troquei o colchão mole pelo chambaril, que na verdade é músculo com um belo pedaço de osso, o que dá um sabor todo especial ao corte. Além disso, dentro do osso tem o tutano, que depois de bem cozido você retira de dentro do osso e mistura com a carne e faz todo mundo suspirar. Além de mais barata, a receita ficou ainda mais gostosa, e incrivelmente versátil como todo bom ragu. Virou recheio de polenta, molho de massa, e com um cuscuzinho hummmm! 1kg de chambaril custou a bagatela de R$ 12,00. Qual é o corte de carne que você encontra por esse preço? Faça o teste e confira:
  • 1 kg de chambaril
  • 2 xícaras de molho de tomate
  • 2 xícaras de vinho tinto (uso sempre do mais barato)
  • 1 cebola picada em cubinhos
  • 1 cenoura picada em cubinhos
  • Azeite para refogar
  • Folhas de louro
  • Sal e pimenta a gosto
  1. Com a panela de pressão bem quente, coloque o azeite e doure as peças de chambaril dos dos lados (aqui foram 3 peças) e reserve
  2. Na mesma panela refogue a cebola com a cenoura até dourar
  3. Devolva as peças de carne para a panela, cubra com: a água, o vinho, o molho de tomate, junte as folhas de louro, tempere com sal e pimenta
  4. Tampe a panela e deixe cozinhar por 1 hora em fogo baixinho
  5. Abra a panela com cuidado, e com ajuda de uma colher ou amassador de batatas, desfie a carne, que já estará desmanchando
  6. Acerte os temperos se necessário, retire o tutano dos ossos com cuidado e misture ao conteúdo da panela (pode descartar os ossos)



Ahhh se desse pra sentir o cheirinho dessa foto... Comida sem firula, amo muito!
 

24 de ago de 2015

Penne alla Norma #SegundaLevinha

 

Eu tive a petulância de chamar esta massa de penne alla Norma, apesar de não ser nenhum pouco fiel à receita original. Mas é que quando vi o prato pronto, e olhei para os ingredientes que intuitivamente usei (quer dizer, era tudo o que tinha na hora pra transformar em almoço), vi que se parecia muito com este tradicional prato que leva o nome da minha mãe. Viu, mãe?! Que chique, bem! 

É uma receita bem fácil e rápida, mas eu gosto de preparar uma etapa com antecedência, mas que também não dá trabalho nenhum, é só planejar um pouco o tempo. Você pode usar a massa que quiser também, eu usei penne sem glúten pois como disse, era o que tinha em casa =)
  • 2 berinjelas médias
  • 2 tomates cortados em cubos grosseiramente
  • Manjericão a gosto
  • 2 xícaras de queijo coalho em cubos (poderia ser Minas, Cottage, Ricota...)
  • Azeite para refogar
  • Sal e pimenta para temperar
  • 250 g de penne preparado conforme as instruções da embalagem (al dente)
  1.  Corte as berinjelas em cubos e coloque-as em uma peneira com bastante sal, misture e deixe descansar por 1 hora
  2. Lave bastante em água corrente e esprema para extrair o máximo de líquido
  3. Refogue a berinjela no azeite por 1 minuto
  4. Acrescente o tomate e refogue ate cozinhar levemente (começar a ficar macio)
  5. Acrescente o penne, o queijo e o manjericão, misture rapidamente, finalize com azeite e pimenta (acerte o sal se necessário)

Ficaria ainda melhor com tomatinhos confitados, hummm! Esta é uma receita ótima para servir para amigos vegetarianos, pra quem faz a segunda sem carne ou pra quem quer comer um prato levinho, bonito e gostoso, sem cara de comida de dieta =)

21 de ago de 2015

Lasanha de atum

 
 
 
 

Há dias em que a gente até quer preparar uma refeição caseira, mas o tempo é tão curto - e a disposição tão pouca - que parece bem mais fácil pegar o telefone e pedir comida ou comer lasanha congelada, né? Mas é por isso que a gente precisa de ingredientes coringa na despensa. Na hora da preguiça ou da pressa, é só juntar os ingredientes certos e em 30 minutos servir uma refeição quentinha e deliciosa para a família - ou pra você mesma(o)! =)
Esta lasanha é tão rápida, mas tão rápida, que a tarefa mais demorada do processo todo é ralar o queijo, hehehe. Vem ver que fácil:
  • 1 pacote de Lasanha pré-cozida Vitarella
  • 1 kg de molho de tomate
  • 4 latas de atum (escorridas
  • Queijo para finalizar (pode ser muçarela ou parmesão)
  1. Comece a montagem da lasanha na seguinte sequência: molho, massa, molho, atum (repita terminando com molho)
  2. Cubra com queijo ralado a gosto
  3. Cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido a 180 graus por 15 minutos
  4. Retire o papel alumínio e deixe dourar por mais 15 minutos na temperatura máxima
  5. Sirva a seguir


Dá pra acreditar? E é levíssima, ainda por cima! Aqui em casa foi sucesso total, tenho certeza que na sua também vai ser =)

 

20 de ago de 2015

Como deixar um bolo bonito sem saber confeitar

Quem não tem talento pra confeitar bolo - tipo eu - acaba desenrolando algumas formas de se virar e deixar um bolo boniteenho mesmo sem as habilidades confeiteirísticas. Aliás, palmas para as confeiteiras, viu! São verdadeiras artistas, clap clap.

Mas já faz tempo que queria fazer um post com esses quebra-galhos que aqui em casa resolvem o problema e que sinceramente, hoje em dia, gosto mais do que aqueles confeitos tradicionais tipo glacê, buttercream, pasta americana e etc.

#Tenha sempre um pacote de açúcar de confeiteiro em casa. Ele deixa qualquer bolo bonito. QUALQUER. Até aquele que ficou meio queimadinho, que a casquinha esfarelou um tiquinho... Acredite em mim, ele salva. É só colocar o açúcar em uma peneira e polvilhar sobre o bolo para dar este efeito uniforme. Os pratos de bolo e bailarina são da JO Decor. A receita do bolo de milho está aqui, e do bolo certo da vovó está aqui.

 
 

#Amêndoas em lascas: Taí um ingrediente que adorna pratos doces e salgados. Tostadinhas sobre uma salada, um risoto, é perfeito. Mas também podem ser colocadas cruas sobre a massa do bolo antes de levar ao forno. Elas tostam enquanto o bolo assa e dão um sabor delicioso. A receita desta torta de canela e amêndoas está aqui.


#Coisas derretidas: uma barra de chocolate bem cremosa (tipo a da Hershey's) derretida em 1 minutinho no micro-ondas ou uma goiabada derretida no fogo com um tiquinho de água. Às vezes é tudo o que você precisa pra deixar seu bolo lindão =) A receita do bolo de cacau e banana está aqui, e do bolo de milho com goiabada aqui.

 

#Se derreter o chocolate é demais pra você, faça raspas! É só fazer com amor que seu bolo ficará igualmente maravilhoso.

 
#Frutas são lindas e embelezam qualquer bolo. Mas atenção, só funciona se a massa do bolo for bem espessa, caso contrário elas vão afundar. Neste bolo as bananas fatiadas foram apenas colocadas sobre a massa e polvilhadas com um pouco de canela. Poderiam ser maçãs, pêras, hummm! A receita do bolo de banana e linhaça está aqui.


 Depois de tanto bolo, ai que vontade de bater um bolinho... Fui!

17 de ago de 2015

O melhor bolo de chocolate #semglúten e #semlactose do mundo!

 
 

Quem já tentou substituir o trigo pela farinha de arroz em receitas de bolo sabe que na maioria das vezes o resultado é um bolo esfarelento e arenoso. Bem diferente da textura macia e fofinha que a gente espera... É uma decepção! Pra deixar os bolos sem glúten mais parecidos com os que a gente está acostumado é preciso fazer um mix de farinhas sem glúten + amidos. Nesta versão peguei um bolo de chocolate que sempre faço da Rita Lobo e arrisquei as substituições. Fiquei TÃO feliz que deu certo! Ficou tão gostoso ou até mais que a versão tradicional \o/
  • 1 xícara de farinha de arroz
  • 1 xícara de polvilho doce
  • 1 xícara de açúcar demerara
  • 1 xícara de óleo vegetal (usei de coco)
  • 1 xícara de água ou café líquido (com café o sabor do chocolate fica ainda mais acentuado, recomendo!)
  • 4 ovos
  • 1 xícara de chocolate em pó (ou 1/2 xícara de cacau em pó)
  •  1 colher de sopa de fermento
  • 1 pitada de bicarbonato de sódio
  1.  Bata os ovos com o açúcar, o óleo e a água ou café no liquidificador até diluir bem o açúcar
  2. Em outra tigela misture os ingredientes secos, menos o fermento
  3. Adicione a mistura líquida aos secos e por último incorpore o fermento
  4. Leve ao forno preaquecido a 180 graus em uma fôrma untada e enfarinhada por aproximadamente 30 minutos ou até passar no teste do palito
 

Molhadinho, fofo, e mais importante: no outro dia ele continuava molhadinho e fofo - coisa difícil quando se trata de bolo sem glúten! Bora começar a semana com gostinho de chocolate?

14 de ago de 2015

Sabores do norte




Amazonense que mora longe da terrinha vive na eterna saudade das comidas que lembram nossa infância com baré na hora da merenda, os almoços de família com aquela matrinxã suculenta, farinha do Uarini e creme de cupuaçu de sobremesa. Aliás, amazonense não faz churrasco, amazonese se junta pra assar um peixe. E dessas coisas a saudade nunca passa. Só alivia um pouco com os contrabandos que a gente consegue aqui e ali, e assim aproveitamos que eu, meu irmão e minha cunhada tínhamos alguns ingredientes e preparamos um almoço de respeito. 

 
#Farofa de açaí: ganhei do marido de presente o livro Cozinha de Origem, do chef Thiago Castanho, e desde que bati o olho nesta receita sabia que tinha que prepará-la. Consiste na fabricação da farinha desde o início do processo e isso é simplesmente o máximo! A melhor parte é que as farinhas do norte são assim, mais grossinhas mesmo, o que facilita a reprodução caseira.
  • 300g de macaxeira descascada e cortada em cubos
  • 2 pacotinhos de polpa congelada de açaí
  • Sal a gosto
  • 1 colher de sopa de manteiga
  1. Derreta a polpa de açaí por 1 minuto no micro-ondas
  2. No processador bata a macaxeira com o açaí até virar uma pasta
  3. Transfira a pasta para um voal ou um pano de prato e esprema retirando o máximo de água possível
  4. Em uma panela grande, leve a massa seca para tostar em fogo baixo, mexendo sempre, até virar a farinha
  5. Tempere com sal e a manteiga, misturando até derreter

 
#Arroz de pirarucu com banana pacovã: Tinha 500g de pirarucu que ganhei da minha mãe na geladeira há quase seis meses, esperando por uma ocasião especial. Pirarucu é um peixe delicioso, é o nosso bacalhau, só que mais gostoso, desculpa.
  • 500g de pirarucu dessalgado
  • 3 xícaras de arroz parboilizado
  • 1 cebola picada
  • Azeite para refogar
  • 1 banana pacovã (banana da terra) cortada em fatias
  • Coentro a gosto
  • Sal 
  1. Coloque o pirarucu em uma assadeira, regue com azeite e leve ao forno para assar por 30 minutos
  2. Desfie o pirarucu e reserve
  3. Refogue a cebola no azeite, frite o arroz e acrescente 6 xícaras de água quente, mantenha em fogo baixo na panela semi-tampada até cozinhar o arroz
  4. Em uma frigideira grelhe as fatias de banana
  5. Misture o arroz com o pirarucu, as bananas e o coentro picado
 
#Bolinho de piracuí: pra quem não conhece, piracuí é uma farinha de peixe, técnica utilizada para conservação de peixe e que resulta numa farinha de sabor acentuado e delicioso, perfeita para estes bolinhos que meu irmão preparou. Ganhei esta farinha da Patrícia, uma amiga-leitora que lembrou de mim quando foi ao Pará e trouxe esta pequena porção de felicidade.
  • 4 batatas inglesas
  • 1 ovo
  • Coentro picado a gosto
  • 1 xícara de piracuí
  • Sal e pimenta a gosto
  • Farinha de rosca
  • Óleo para fritar
  1. Cozinhe as batatas descascadas e cortadas em cubos, escorra a água, amasse e reserve
  2. Misture a gema, o piracuí, sal, pimenta e coentro picadinho
  3. Modele as bolinhas, passe na clara, empane na farinha de rosca e frite em óleo quente até dourar
  4. Escorra em papel toalha
A fome era tanta que não lembrei de tirar foto do prato com a câmera, mas vai a do celular mesmo:

Preciso dizer que foi  um almoço feliz? Não né!!! E pra completar ainda tinha Baré - o melhor guaraná do mundo - e de sobremesa um pavê de cupuaçu que minha cunhada preparou, e que não tirei foto por motivos de devoramos tudo!

 Eu sei que muita gente não vai entender metade dos nomes que citei neste post, mas quem tiver a oportunidade de conhecer a culinária do norte do país, aproveite. Você não vai se arrepender =)
Related Posts with Thumbnails